O capitalismo criativo e a democracia das redes

Parte 1

Por Gil Giardelli

Alguém discorda que a Inovação é a grande saída para construirmos uma economia criativa? Os Tech inovadores tem como mantra “O que você está fazendo pode mudar o mundo ou começar uma nova economia?”É a cultura da geração da generosidade, do movimente-se primeiro e do corra riscos!

Será exatamente sobre isso que discutiremos em outubro no curso de Ações Inovadoras em Comunicação Digital, na ESPM de Porto Alegre.

Nada novo, surpreso? A inovação da máquina a vapor criou o capitalismo, um pouco depois entre 1896 e 1930 nasceram 1.800 fabricantes de carros, sobreviveram apenas três empresas e redesenharam a era industrial! Tanto os inventivos a vapor, como os fundadores da indústria automobilistica tinham o sonho de mudar o mundo!

E neste momento, no apogeu da democracia das redes sociais, da inteligência universal e do livre mercado fundamos a Cyber Humanidade, a Humanidade 4.0! É o espiríto pioneiro se renovando, o mundo como um vilarejo, a era do supere-se e a era dos inovadores sociais – pessoas para as quais o outro é um valor em si!

Ingressamos na de Thomas More? Que em 1516 escreveu que um dia existirá um mundo onde a não violência é possivel, com prosperidade para todos em uma democracia universal, protegendo todas as diferenças e criando outras! Onde o lucro não será nada além do que uma obrigação, e não uma finalidade! Na ilha dissolve-se as diferenças e fomenta-se a igualdade, eliminando por completo o conflito e seus potenciais possibilidades de materialização!

Ou decolamos na Hiperdemocracia de Jacques Atalli? Uma economia de mercado em que cada qual se mede em relação ao outro? Uma economia do altruísmo? O outro lhe possibilitará compreender que o amor por outrem, e portanto por si mesmo, é a condição da sobrevivência da humanidade? Pois quando mais se dá, mais se recebe, com o mantra – Se eu compartilho, eu não fico sem!

Ou embarcamos na “Aldeia Global” de Marshall Mc Luhan que previu que o mundo no século XXI seria maravilhoso, uma espécie de “aldeia global”, com todos os seres falando a mesma lingua.

Ou vivemos, um mundo onde a liberdade individual é um direito natural e inalienável como disse a quase 200 anos John Locke no livro “Tratado do Governo”.

Olhe em volta, a inovação digital é o motor da proliferação do capitalismo criativo do empreendedorismo da nova era! Da vitória do gosto pelo novo, pela paixão pela descoberta. Bem vindo a era do empreendedorismo digital e da democracia das redes sociais com abundância, velocidade e gratuidade!

OBS: O artigo será publicado em três posts. Este é o primeiro. 

Gostou? Compartilhe: