A premiada Direção de Arte de “A Invenção de Hugo Cabret”

Ontem foi um dia que, desconfiamos, há semanas estava marcado no calendário dos cinéfilos: a 84ª edição do Oscar. Os vencedores não surpreenderam: a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood consagrou o francês O Artista, que levou a estatueta de Melhor Filme. O longa ganhou o mesmo número de prêmios de outro favorito, A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese, que venceu boa parte das categorias técnicas. Entre elas: Direção de Arte, disputada com O Artista, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2, Meia-Noite em Paris e Cavalo de Guerra. Assista ao trailer do vencedor:

.

Até 1946, essa categoria se chamava Decoração de Interiores. Ganhou o nome pelo qual a conhecemos hoje por envolver outros aspectos cênicos superimportantes. Durante o processo de filmagem, o diretor de arte é o responsável pelas decisões criativas, coordena as equipes de figurino e maquiagem e, com o auxílio do designer de produção, cuida de toda a concepção visual do filme.

Francesca Lo Shiavo, diretora de arte do longa ao lado do marido, Dante Ferretti, dedicou o prêmio ao seu país natal, a Itália. A dupla já havia ganhado o Oscar outras duas vezes com os longas O Aviador (2004) e Sweeney Todd, o Terrível Barbeiro da Rua Fleet (2007). Por seu detalhismo, a direção de arte de Hugo era a favorita ao prêmio. Um de seus aspectos mais comentados foi a decoração dos sets de fimagem. O orçamento ajudou na criação de cenários grandiosos, construídos em escala real. Todos os elementos cênicos foram milimetricamente estudados para fazer parte de um festival de formas e cores, auxiliado, em parte, por recursos digitais.

O longa marca a estreia de Scorsese na direção de filmes infanto-juvenis e traça uma belíssima homenagem aos primeiros anos do cinema, em especial ao diretor francês Georges Méliès, considerado o bisavô dos efeitos especiais. A história do protagonista, um órfão que mora escondido entre os relógios de uma estação de trem parisiense, é intercalada com cenas clássicas do cinema do começo do século passado.

Gostou? Compartilhe: