“Compartilhar é, também, engajar” – Jason Lonsdale no GPRS

jason03

Quarta-feira falamos aqui sobre a participação de Camilla Lie Jensen, Diretora de Estratégia e Planejamento da Naked, no 1º Congresso de Planejamento do GPRS, que discutiu o atual momento da disciplina no mercado e no mundo. Hoje, quem protagoniza nosso post é ninguém menos do que o palestrante Jason Lonsdale, da Saatchi & Saatchi. De certa forma, o discurso de Lonsdale casou com a fala de Camilla: enquanto ela enfatizou a importância de engajar e motivar o público a agir, ele focou seu discurso na importância de gerar compartilhamento — e na diferença fundamental entre Brands e Lovemarks (os conceitos dispensam tradução, né?).

Em uma critca metafórica à retroalimentação do mercado, Lonsdale iniciou sua palestra falando sobre a doença da Vaca Louca, causada pelo fato de que os bovinos estavam se alimentando uns dos outros — como os planejadores que só leem e pesquisam sobre o que outros planejadores fazem ao agir com base no que os outros já fizeram. Por isso, enfatizou que sua abordagem não seria apenas sobre o assunto em pauta, mas sobre a Publicidade em geral, a criatividade e as diferenças entre países. Mas, ironicamente, foi através da apresentação de cases que passou sua mensagem: compartilhar a publicidade.

Jason disse que escutar o público faz toda a diferença nesse processo e, para isso, é imprescindível não ter medo de ousar, arriscar, fazer o que nunca foi feito. Para ilustrar essa atitude, mostrou o case da T-Mobile, que fez várias pessoas dançarem em uma estração do metrô de Londres. Além de engajamento, a ideia gerou mídia espontânea, já que foi amplamente divulgada na imprensa.

“Nós só podemos obter influência se abrirmos mão do controle”.

Como o princípio da lealdade é o amor, ao explicar os fundamentos da geração de Lovemarks destacou, mais uma vez, que engajamento e participação devem fazer parte da estratégia — e que de nada adianta interromper ou tentar mudar o interesse das pessoas: o objetivo é ser o interesse das pessoas. Vale ressaltar os princípios de uma Lovemark: 1. Seja real e apaixonado; 2. Envolva e celebre o cliente; 3. Encontre e compartilhe grandes histórias.


Brands ou Lovemarks?

Gostou? Compartilhe: