Manifesto Transmídia: o futuro do storytelling

Transmedia-Manifest-logo

*Por Sheron Neves, colunista da Escola de Criação e professora do Storytelling e transmídia para marcas

A arte do storytelling, do “contar histórias”, sempre sofreu transformações. Com a tecnologia digital e a convergência midiática, nós estamos hoje à beira de uma transformação gigantesca. Não somos mais espectadores, ouvintes, leitores, usuários nem jogadores. Somos “experienciadores”, cujas funções desempenhadas mudam de acordo com a mídia e a forma como a usamos.

Com esta realidade em mente, um grupo de trabalho na Alemanha, formado por oito profissionais de diferentes áreas da comunicação, criou um documento com onze hipóteses sobre o futuro do storytelling:

Hipótese 1: Realidade x ficcção
A ficção substitui a realidade, e se torna o mais imersiva possível.

Hipótese 2: Tocas de coelho
As histórias oferecem múltiplos pontos de entrada, de acordo com os meios utilizados pelos experienciadores.

Hipótese 3: O universo da história
O experienciador não acompanha mais apenas uma narrativa, ele pode escolher entre as várias storylines paralelas que somadas formam o universo da história.

Hipótese 4: Interatividade
Experienciadores se comunicam entre si e com os personagens, o que consequentemente influencia o arco e os torna parte da história.

Hipótese 5: Conteúdo gerado pelo público
O experienciador contribui criativamente em determinados pontos da história.

Hipótese 6: Transmidiatismo
A história não se limita a um único meio, e sim tira vantagem dos pontos fortes de cada uma das plataformas usadas para simbioticamente criar o universo da história.

Hipótese 7: Locais reais
A história em alguns momentos inclui locais reais, os quais o experienciador pode visitar e acompanhar o desenrolar da trama in loco.

Hipótese 8: Variedade de papéis
A história atrai vários tipos de experienciadores, dos mais energéticos aos mais acomodados, pois oferece uma variedade de papéis com diferentes graus de envolvimento.

Hipótese 9: Infinitude
O universo da história tem potencial para se tornar um terreno fértil para uma infinidade de sequências, spin-offs e reutilização constante de elementos da trama.

Hipótese 10: Multi pagamento
A diversificação do storytelling permite um modelo de negócios “freemium” (onde se disponibiliza uma versão gratuita e posteriormente uma versão paga com novos recursos que agreguem valor), onde cada experienciador pode contribuir múltiplas vezes.

Hipótese 11: Autoria colaborativa
A história é desenvolvida por um time versátil e multidisciplinar de profissionais que colaboram entre si.

Saiba mais sobre os autores e leia o texto original aqui.

Gostou? Compartilhe: