“O que importa é a qualidade da ideia”, afirma Rodrigo Maroni no GPRS 2012

554830_387766411265814_194288590613598_1087933_2093659563_n

Com uma verdadeira aula sobre Planejamento das Novas Mídias, Rodrigo Maroni, diretor de Planejamento e Estratégia Digial da DM9DDB, expôs suas percepções para o alcance de sucesso em campanhas digitais na palestra “Estratégia digital: o que importa?”, realizada no 1º Congresso de Planejamento do Rio Grande do Sul no último dia 21 de maio.

Para iniciar, Rodrigo fez sua própria definição de estratégia: fazer escolhas que tornem o trabalho mais eficiente. E, para isso, é necessário ter o desconforto como ponto de partida, sempre tomando uma posição – mesmo não tendo histórico para embasar esta decisão, vivemos na era dos que tentam. Não existem fórmulas prontas para o sucesso. Para ele, a estratégia digital deve ser “não-linar”. Isso significa que é imprescindível que a mensagem seja interessante, do contrário, não será notada.

Em sua fala, Maroni afirmou que “em uma campanha digital, o mais importante é a qualidade da ideia. Isso é o que pesa mais para as pessoas no meio digital. Elas se envolvem mais e isso torna a ação eficiente. Se você for interessante, você será eficiente”, enfatiza. Citou a campanha primorosa do jornal “The Gardian”, que fala sobre o jornalismo aberto praticado atualmente.

Maroni afirma que este trabalho colocou o jornal em uma posição diferenciada junto à concorrência, muito por conta da execução bem realizada, algo que é extremamente importante no meio digital. A campanha mostra não apenas as diversas plataformas e agilidade com que a informação corre, mas também como é a participação e reação das pessoas via redes sociais. No vídeo, a BBH de Londres fez a seguinte pergunta: E se a história dos Três Porquinhos e o Lobo Mau se tornasse realidade?

Como outros bons exemplos, Maroni citou uma nova ação da Nike que soma comercial + compra online + game + experiência:

Outro exemplo foi o Project Re: Brief da Google que mostra como seriam grandes campanhas lançadas alguns anos atrás, se os criadores contassem com o auxílio de recursos atuais como internet, mobile, geolocalização etc.

Para encerrar, mostrou um vídeo feito pela DM9DDB com o estudo sobre o comportamento humano no mundo conectado em que vivemos hoje. Assista:

Gostou? Compartilhe: