Constellation, por Kumi Yamashita

Constellation, por Kumi Yamashita foto: reprodução

O dia de hoje no blog da Escola de Criação foi super dedicado à arte moderna realizada por orientais. Depois do chinês Johnson Tsang e sua cerâmica surrealista, Kumi Yamashita faz arte com fios contronando pregos a partir de um único ponto, em tramas contínuas.

Japonês, mas cidadão de Nova York desde 1984, Yamashita já aprontou outras vezes com uma exposição badaladíssima com projeção de sombras. A última do artista, que já contou com mais de dez exposições individuais, é uma obra teoricamente simples. Pegando alguns alfinetes, você pode pregá-los em uma superfície e passar um fio negro traçando pontos tramados. Parece simples, mas não é. Já pensou fazer uma figura como essa? É para poucos:

O trabalho chamado Constellation é uma série de retratos, cada um deles feito com um único fio preto contornando alguns pregos galvanizados, formando tramas contínuas. A invenção lembra aqueles joguinhos de revistas infantis chamados “Ligue os Pontos”, os quais, ao término da atividade, uma figura forma-se da junção deles com uma caneta. Mil vezes mais elaboradas e cheias de talento depositado, as instalações resultam nas imagens de rostos humanos com uma riqueza de detalhes incrível, em um geométrico jogo de luzes.

Gostou? Compartilhe: