De Kanye West à David Bowie, eis a lista de bons álbuns lançados no primeiro semestre de 2013

Fizemos a lista dos 5 melhores álbuns lançados no primeiro semestre de 2013, nos mais diferentes estilos foto: reprodução

Normal, às vezes a gente fica tanto tempo ouvindo o mesmo álbum, banda ou música, que acaba enjoando. E pior, com preguiça de ir atrás de coisas novas para renovar o MP3. O primeiro semestre do ano oficialmente acabou e, por incrível que pareça, muitos artistas lançaram coisas boas e que valem a ouvida. Se pra alguns não valer o download, pelo menos serve pra dizer que não gostou.

Para ajudar nessa “caçada” às boas sonoridades, fizemos aqui a lista de 5 ótimos álbuns lançados em 2013 até agora, passando por diferentes estilos. Do rock ao rap, do indie ao eletrônico. E até que estamos um pouco atrasados, afinal, vários sites gringos como Spin e Stereogum saíram na frente e lançaram suas apostas já no início de junho.

Confere aí o que anda rolando em nossos players:

Kanye West – Yeezus
Vigor, ódio, raiva, Hollywood. Só algumas das definições para o novo trabalho de Kanye West. A altíssima qualidade das canções em sua formas mais completas (letra e melodia se fundem perfeitamente) abrigam um Kanye inquieto e muitas vezes perturbador. Cansado da vida de celebridade? Nunca saberemos. A verdade é que Yeezus é uma manifestação contra o sistema, o racismo, ex-mulheres e, acredite, o mercado musical. Um álbum cheio de conteúdo original, digno de um deus.

Vampire Weekend – Modern Vampires Of The City
Demorou três anos, mas saiu. Esse longo tempo foi justificado, segundo eles, que o grupo gostaria de deixar as músicas exatamente da forma que eles buscavam soar. E fizeram bem o tema de casa: no retorno, conseguiram um ótimo feito, o de não decepcionar aqueles que estavam com grandes expectativas. O disco repleto de ótimas canções do começo ao fim.

Foals – Holy Fire
O disco dos ingleses do Foals veio à tona em fevereiro desse ano, mas o single “Inhaler” foi lançado um pouco antes, pra já deixar a galera ansiosa pelo trabalho. Esse álbum apresentou a mesma tendência indie rock, que faz qualquer um que escuta dançar. De fato, é impossível ficar parado ao ouvir faixas como “My Number”. Destaque para a intensa “Late night” (que vem acompanhada de cenas de sexo em seu clipe), fazem desse disco um dos melhores produzidos até agora.

Free The Universe – Major Lazer
O que esperar do segundo álbum do gênio por trás de um dos hits mais sampleados da história? (oi, Beyoncé, Nicola Roberts, Anitta e companhia)? O álbum pode não ser cheio de audácia como o primeiro, mas a influência jamaicana segue forte e fundida com eletrônico, hip-hop, moombathon, reggae, R&B e house. É pra dançar até não poder mais.

David Bowie – The Next Day
David Bowie é um daqueles que, aos 66 anos, lança um novo disco e nos faz recordar o porquê de alguns cantores não caírem no esquecimento jamais. O álbum de retorno é o primeiro disco de estúdio depois de uma lacuna de 10 anos (seu último trabalho foi “Reality”, lançado em 2003). The Next Day é um típico disco de rock, recheado de instrumentos (do saxofone e violinos aos sintetizadores), com baladas sob trilhas de teclados e hits fortes com guitarras pesadas, além de variações do próprio Bowie que alterna delicadeza e densidade

Nada contra boas e velhas músicas que mexem com nosso coração, mas uma variada é fundamental.

Gostou? Compartilhe: