Mark Kologi, o colecionador de fotos perdidas

Americano compra e revende fotos encontradas ao redor do mundo, uma espécie de venda de lembranças alheias. foto: reprodução

Você colecionaria registros da vida de pessoas totalmente desconhecidas? Pois é isso que faz Mark Kologi. Bem, ele não é fotógrafo mas já vendeu mais de três milhões de imagens. Isso mesmo, fotos achadas e do ponto de vista de quem as tirou, perdidas.

A história desse habitante de Los Angeles inspirou os diretores Ben Kitnich e Saxon Richardson a transformarem a atividade no documentário “The Photo Man”, onde dão uma oportunidade ao colecionador de falar sobre seu estranho e interessante negócio. Colecionadores do mundo todo procuram Mark com lotes de fotos à venda. Depois de compra-las, Kologi faz uma espécie de curadoria, espalhando as fotos caixas para seus clientes mais cativos. Grande parte da satisfação, diz ele, está em saber que as recordações vão parar em mãos de pessoas extremamente criativas.

E sobre a venda de “lembranças alheias”, Mark diz o seguinte:

“Talvez eu tome muitas liberdades com a vida das pessoas, porque eu acho que alguém fotografou aquele momento, e eu comprei, ele agora pertence a mim. O que eu mais posso fazer, acho que é melhor que serem jogadas no lixo.”

Assista ao documentário:

Gostou? Compartilhe: