Multitaskers alternam telas 27 vezes a cada hora

Multitaskers alternam telas 27 vezes a cada hora

*Por Sheron Neves, colunista da Escola de Criação e professora do Curso de Storytelling e Transmídia para Marcas

Qual é maior pesadelo de um anunciante? Para a Advertising Age, é um público tão distraído com as opções de mídia que não presta atenção no seu comercial.

A revista publicou recentemente um estudo da Time Warner sobre multitasking, que concluiu que os “nativos digitais” (jovens adultos entre 20 e 29 anos) alternam entre diferentes mídias 27 vezes durante o período de 1 hora, enquanto os “imigrantes digitais” (que cresceram com as mídias tradicionais mas se adaptaram às novas) alternam 17 vezes.

Como este dado afeta a publicidade? Simples. Ele pressupõe que durante um programa de TV de meros 30 minutos, o segmento de 20 a 29 anos irá dividir sua atenção entre múltiplas telas 13 vezes (da TV para o celular, do celular para o computador, e assim por diante).

Sem dúvida um cenário preocupante para os anunciantes: consumidores com attention span baixíssimo, pulando de tela para tela em busca de algo que capture sua atenção. “O target se tornou mais rápido, e a janela de oportunidade para atingi-lo é cada vez menor”, diz o CEO da Innerscope, responsável pela pesquisa.

Outro estudo com usuários de redes sociais entre 13-49 anos, coordenado pelo Hollywood Reporter, teve mais da metade dos respondentes alegando que as redes são importantes influenciadoras nas suas decisões. No quesito TV social, 79% dos telespectadores visitam o Facebook enquanto assistem TV, e 41% tuitam sobre o que estão assistindo. E daqueles que postam sobre televisão, 51% o fazem para se sentirem conectados ao restante do público.

Mas será que a pesquisa está muito distante da nossa realidade brasileira? De acordo com o estudo da Motorola, os nossos multitaskers são os que mais usam dispositivos móveis para ver TV na América Latina. E também reforça o quanto as mídias sociais vêm mudando a experiência de assistir TV do brasileiro: 43% já recomendaram programas nas redes, e 82% usaram a TV social em 2011.

Captar a atenção e a emoção deste público multitarefas e multitelas não é fácil, Por isso a importância de convidá-lo a participar e a imergir no universo da marca. Engajá-lo é crucial, seja através de ações de TV social, seja através do transmídia storytelling e de experiências e conteúdos colaborativos que transitam por entre plataformas.

Ele retribuirá com atenção e retuites. E se você tiver sorte, lealdade.

—————————————————————————————————————————————
Interessado em narrativa transmídia, marketing e conteúdo de marca? Então dá uma conferida no curso STORYTELLING E TRANSMÍDIA PARA MARCAS da Escola de Criação ESPM-Sul aqui. Começa em 27 de janeiro de 2014, então garanta logo sua vaga! Inscrições aqui.
—————————————————————————————————————————————–

Gostou? Compartilhe: