Natal – Como surgiu, afinal, a figura do bom velhinho?

Natal - Como surgiu, afinal, a figura do bom velhinho? foto: reprodução

Apesar da marca Coca-Cola ter aperfeiçoado a imagem do Papai Noel, ele foi inventado há muitos e muitos anos. As histórias que contam sobre a origem do famigerado velhinho vão de personagem inventado pela Coca-Cola a bom samaritano distribuidor de sacos de moedas na porta das casas todo fim de ano. Umas das versões sobre a existência do bom velhinho vem lá dos povos bárbaros e junta todas as teorias em um “saco” só. Confere:

Conta-se que o Papai Noel, símbolo do Natal nasceu do tempo em que os bárbaros tomavam conta do Velho Mundo. A cultura deles era inundada por uma série de celebrações que definiam sua identidade religiosa e tentavam amenizar as rigorosas temperaturas e a falta de comida que assolava a Europa nos períodos de inverno. Dele, surgiu a lenda do Velho Inverno: um senhor de idade que batia à porta das pessoas para pedir comida e bebida. De acordo com o mito, quem o atendesse com generosidade, teria um inverno mais ameno.

Somente décadas depois a associação entre o personagem Velho Inverno e o Santa Claus (ou São Nicolau) foi feita. De acordo com relatos históricos, São Nicolau foi um monge turco que viveu durante o século IV. Ele teria ajudado uma jovem a não ser vendida pelo pai, pagando o dote de casamento da menina com um saco cheio de moedas de ouro. Apesar do gesto de bondade ter corrido o mundo, somente cinco séculos depois a igreja católica reconheceu tal gesto de bondade, santificando o clérigo.

A partir deste acontecimento, o dia 6 de dezembro passou a ser o de São Nicolau, data em que as crianças aguardavam ansiosamente a distribuição de presentes feita pelo bom velhinho: um homem trajando roupas de bispo. O update da figura do papai Noel se deu por um cara chamado Thomas Nast. Ele teve a ideia de incorporar novos elementos à imagem do Santa Claus, como a barriga protuberante e a abundante barba branca. Mas o Papai Noel da época se parecia mais com um gnomo da floresta do que com o que conhecemos hoje. O desenho saiu em publicação na Revista Harper’s Weekly, em 1862:

Foi apenas em 1931 que o nosso querido Papai Noel ganhou a sua roupa avermelhada: símbolo de sua existência. Um cara chamado Haddon Sundblom, contratado pela Coca-Cola bolou o padrão rubro das vestimentas do bom velhinho. Com passar do tempo, a popularização das campanhas publicitárias da marca acabaram instituindo o padrão que conhecemos hoje.

Ao contrário do que já está incutido no imaginário das pessoas, a Coca-cola não é dona do Papai Noel, apenas de uma parte da sua confecção final. Um pouco daqui, um pouco de lá e várias fases da história da humanidade contribuíram para a construção da figura do bom velhinho e sua popularidade. Vejam o Papai Noel atual na bela campanha de Natal da Coca-Cola, em 2012. Feliz Natal, pessoal!

Gostou? Compartilhe: