O machismo nas propagandas vintage

O machismo assustador nas propagandas vintage do início do século foto: reprodução

A história, a gente está careca de saber: no dia 8 de março de 1877, por melhores condições de vida e de trabalho, operárias de uma fábrica de tecidos realizaram uma greve.

As exigências: carga horária diminuída de 16 para 10 horas diárias, equiparação salarial e tratamento correto dentro do ambiente de trabalho. Nada disso foi atendido, a violência tomou conta, fizeram cárcere privado das operárias dentro da fábrica e atearam fogo. Muitas mulheres morreram e somente 10 anos depois, em conferência na Dinamarca, era instituído o “Dia da Mulher”, em homenagem às mais de 130 guerreiras que deram a vida para que a gente tivesse um futuro mais digno.

Mas e no meio da publicidade da época? Não muito depois do ocorrido, e mesmo com o Dia da Mulher instituído, as marcas ainda lidavam com o sexo feminino de forma equivocada. Como se fosse um simples objeto sexual, sem cérebro, louca para “pilotar” um fogão ou que vivia somente para satisfazer as vontades do parceiro.

As ilustrações não nos deixam mentir, uma delas mostra, inclusive, uma mulher sendo pisada pelo marido, como se fosse um simples tapetinho.

Revoltante, né?
Mas vale a pena o registro desse período onde a mulher era simplesmente um objeto e totalmente submissa.
Coisas do passado, pelo menos no marketing ocidental.

Bom, atualmente, o apelo machista que reinava no passado já não é mais bem vistos pelos consumidores e a mídia teve que se adaptar a isso. Será? Não é incomum que propagandas de cerveja sejam acusadas de machismo. Neste anúncio da Coopers Light Lager, de 2008, a cervejaria muda a imagem dos corpos de mulheres tidas como nada sensuais e coloca neles atributos físicos que seriam interessantes aos da ala masculina. A ideia por trás do Photoshop é dizer que a cerveja, que tem baixo teor alcoólico, só distorce parcialmente a visão dos homens, fazendo com que eles ainda sejam capazes de distinguir uma mulher feia de uma bonita.

E você? Lembra de alguma propaganda machista?

Gostou? Compartilhe: