Os ciganos do século 21

Os ciganos do século 21 foto: reprodução

Eles não têm ligação com os nômades de origem indiana espalhados pelo mundo há muitos séculos, mas os novos ciganos, ainda assim, possuem muitos hábitos comuns ao povo antigo. O movimento cigano do século 21 é um fenômeno que só aumenta e se populariza em toda Europa. Os adeptos são, na verdade, jovens de classe média com ideias anarquistas que fugiram do moldes de viver das grandes cidades para se reunir com outras pessoas e formar um estilo de vida fora dos padrões vividos. Eles encontraram uma forma de se libertar das amarras que os deixavam infelizes. E a nova vida está livre dos prazos, da violência urbana e, sobretudo, do sistema capitalista: a engrenagem que alimenta todo o estresse.

Há quem culpe a crise europeia pelo aumento da população nômade nos últimos anos. Sem chance de trabalhar com o que gostam e com uma perspectiva de vida limitada pelo papel moeda, eles buscam o que realmente querem, fora dos enquadramentos tradicionais. A razão pode ser esta ou tantas outras… Afinal de contas, quem nunca pensou pelo menos por alguns segundos em como seria levar outro tipo de vida?

O diferencial dos movimentos gypsy atuais é que, apesar de bsucarem maior contato com a natureza, as pessoas continuam conectadas; escolher uma vida tranqüila não significa necessariamente o isolamento total. Muitos deles possuem tablets, celulares, laptops e têm até conta em redes sociais.

Interessado no movimento dos ciganos do século 21, o inglês Iain Mckell passou dez anos viajando com um grupo deles e documentando tudo o que viu com lindas fotografias. O resultado deste trabalho virou um livro chamado “The New Gypsies”, e todas as fotos deste post fazem parte da obra.

Gostou? Compartilhe: