Chame o síndico: “Tim Maia” chegou aos cinemas

tim-maia-c

Cinebiografias são produções nada fáceis de fazer e o caso do novo filme Tim Maia – Não há nada igual não é diferente. Para contar a vida de um dos maiores astros da música brasileira, um time de peso se envolveu e mostrou o lado transgressor, amoroso e debochado do artista. Chama o síndico, chama os amigos, a família e vamos curtir Tim Maia, que estreia hoje nos cinemas.

Baseado no livro Vale Tudo – O Som e a Fúria de Tim Maia, de Nelson Motta, Tim Maia segue um formato bastante convencional. Com auxílio de narração em off, o filme acompanha o cantor desde a infância até a morte, traçando um arco tradicional das biografias: da ascensão à queda.

O diretor Mauro Lima, também responsável pelo longa-metragem Meu Nome Não É Johnny, também assina o roteiro de Tim Maia em parceria com Antonia Pellegrino. Em 120 minutos os expectadores conferem a infância do cantor no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro; o primeiro grupo, com Roberto e Erasmo Carlos e a frustração quando os dois estouraram antes dele. Claro que não poderia ficar de fora a temporada que o músico passou nos Estados Unidos, quando aprendeu o estilo soul e foi preso por roubo de carro e posse de drogas.

O elenco é o ingrediente especial da narrativa intercalada por dois tempos, evidenciando a personalidade forte e difícil do artista. Tim Maia é interpretado por Robson Nunes quando jovem e Babu Santana na fase adulta. Ambos apresentam um Tim de presença. Alinne Moraes  está bem como Janaína, o grande amor do protagonista. O time conta ainda com Cauã Reymond, George Sauma e Tito Naville como Roberto e Erasmo e Luis Lobianco como Carlos Imperial. Confira o trailer:

Gostou? Compartilhe: