Consciência Negra: dia de reflexão

consciencia-negra-amplie

O dia 20 de novembro marca a morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares, em 1695. Por isso o Dia da Consciência Negra é comemorado na mesma data. Mais do que lembrar e homenagear Zumbi dos Palmares, a data é uma oportunidade de expandir a reflexão e o debate sobre a participação do negro na sociedade. Dentro desse tema social, cada gesto positivo é um importante passo para a desconstrução do racismo, e a publicidade pode ser parte ativa das políticas afirmativas com campanhas fortes como as que selecionamos abaixo. Confira e inspire-se:

O anúncio da Comissão Para a Igualdade Racial foi Leão de Ouro em Press no Cannes Lions de 1996. A criação é da Saatchi & Saatchi do Reino Unido.

“Racistas, seus filhos precisam de um pouco de sangue para viver. Escolha o branco”, provoca a Sociedade Antiracismo com criação da Saatchi & Saatchi.

Já imaginou uma página sem palavras negras? Esse o conceito por trás do anúncio criado pela Leo Burnett Itália numa campanha institucional.

Em campanha criada pela Leagas Delaney francesa para o serviço de empregos temporários Adia, a afirmação “Eu amo as piadas racistas do meu chefe”. A imagem mostra também que ele, na verdade, não gosta das piadas.

O anúncio do TED mostra brancos e negros unindo-se depois de atravessar a mente de Martin Luther King. A criação é da Ogilvy & Mather da Argentina.

A cor da pele não deve ditar o futuro da pessoa. É o que defende esta peça da Publicis Conseil, de Paris, para a Liga Internacional contra o Racismo e o Antissemitismo na França.

Campanha da UNICEF, criada pela Ogilvy, relata os impactos do racismo na infância e foi premiada em Cannes com o Leão de Bronze. A mensagem é: “O risco de Thiago ser assassinado é quase 3 vezes maior que o de outras crianças. Só que Thiago não sabe disso. Nem desconfia que não vai chegar aos 18 anos. Só sabe que as pessoas olham para ele de um jeito diferente. Ou desviam o olhar quando ele passa. Mas por que justo o Thiago? Por que ele não tem os mesmos direitos que as outras crianças? A resposta é simples. Porque ele não tem a mesma cor de pele do menino desta foto”

Oliviero Toscani, o gênio por trás das polêmicas campanhas da Benetton, promove a igualdade das cores por meio de uma algema.

“Se eu fosse assim você me olharia de outra forma”, avisa a campanha provocativa da Publicis Brasil para o Afropress.

Gostou? Compartilhe: