Intervenção de brasileira faz homenagem aos 100 anos da Primeira Guerra Mundial

nele-azevedo-monumento-2

Pela primeira vez na Grã-Bretanha, a artista brasileira Néle Azevedo instala uma de suas obras em Birmingham. Composta por mais de 5.000 pequenas figuras em gelo, o “Monumento Mínimo” homenageia o centenário da Primeira Guerra Mundial.

“Monumento Mínimo” é um projeto de intervenção urbana considerado um estudo crítico do monumento nas cidades contemporâneas. Ele acaba formando uma espécie de “antimonumento”, porque oferece não apenas novas formas e materiais para o cenário, mas um novo objeto de celebração sobre a guerra. Diversas cidades do mundo, entre elas Tóquio, Havana, Paris, Berlim, Santiago do Chile e Belfast já receberam a intervenção.

Funciona assim: Néle faz esculturas de gelo de homens sentados (com cerca de 20 cm cada um), e todos saem diretamente de um freezer para algum importante monumento da cidade escolhida. Em meio a alguma escultura ou cenário que homenageia heróis e grandes nomes, Néle faz menção aos homens comuns e como eles podem desaparecer em questão de instantes. Nada mais do que o vem e vai da vida, representado pelas esculturas que derretem com o passar do tempo.

Em entrevista ao site do Goethe Institut, Néle Azevedo falou sobre o conceito inicial de sua intervenção e sobre a variedade de leituras que ela vem ganhando com o passar do tempo: “Encontrei nos monumentos públicos uma síntese de minha inquietação: a celebração histórica muito longe do sujeito comum. Busquei uma conciliação entre a esfera pública e a esfera privada […] No lugar da escala grandiosa, largamente utilizada como ostentação de grandeza e poder, propus uma escala mínima. No lugar do rosto do herói da história oficial, uma homenagem ao observador anônimo, ao transeunte, numa espécie de celebração da vida, do reconhecimento do trágico, do heroico que há em cada trajetória humana”.

Confira a beleza da intervenção artística da brasileira:

Gostou? Compartilhe: