Os divórcios mais conturbados do rock

Os divórcios mais conturbados do rock / Foto: reprodução

Hoje é dia de aproveitar o momento para refletir sobre a razão pela qual as coisas chegam ao fim. Como diria Renato Russo “o para sempre, sempre acaba” e é por isso que algumas separações no mundo da música entraram para a história. Porque uma banda de rock pode ser bem parecida com um casamento ou relacionamento amoroso; e os atritos, ainda piores. Conheça as bandas que tiveram separações particularmente dolorosas e conturbadas.

OASIS

Os laços familiares não foram suficientes para impedir que os irmãos Gallagher dessem um ponto final a uma das maiores bandas de rock das últimas décadas. Desde os primeiros anos de Oasis, no início dos anos 90, os irmãos brigavam como loucos, mas o estopim dessa guerra só aconteceu em 2009, nos bastidores de um festival em Paris. Os relatos variam, mas sabe-se que os irmãos entraram em confronto físico e cancelaram o show. Pouco depois, o Oasis acabou, com um anúncio de Noel logo após o cancelamento do show: “É com alguma tristeza e muito alívio que digo que estou deixando o Oasis hoje”. Conformado, ele argumentou: “As pessoas escrevem e dizem o que querem, mas eu simplesmente não conseguiria trabalhar mais um dia com Liam.” De acordo com testemunhas, os irmãos estavam discutindo acaloradamente nos bastidores quando Liam destruiu uma das guitarras de Noel. Depois, um começou a socar o outro. Eles não se falam desde então.

SEPULTURA

Outra crise envolvendo irmãos quase levou ao fim a formação original da banda brasileira de maior sucesso no estrangeiro: o Sepultura. Em 1997, Igor Cavalera, Paulo Jr. e Andreas Kisser discordavam das atitudes da esposa de Max Cavalera, a empresária da banda. A crítica principal à Gloria Cavalera era de que os outros integrantes não se sentiam igualmente valorizados como Max, irmão de Igor e vocalista da banda. Quando o trio decidiu demitir Gloria, Max saiu e, pouco mais de um ano depois, o Sepultura ressurgiu com Derrick Green nos vocais. Max formou a banda Soulfly em seguida. Porém, em 2007, os irmãos lançaram juntos a Cavalera Conspiracy – uma demonstração de que os dois voltaram a se entender.

IRA!

Outra banda brasileira que deu muito que falar na separação foi o Ira! A briga envolvendo dois irmãos novamente até hoje não foi esclarecida. Facadas, tacos de beisebol e pontapés são apenas alguns elementos do que pode ter ocorrido no dia em que o Ira! acabou. Segundo Nasi, o vocalista da banda, “casos policiais, discussões financeiras, brigas familiares e disputas de poder” causaram todo esse estrago. Para ele, Airton Valadão Júnior, empresário da banda e irmão do vocalista, seria o “responsável por colocar os integrantes do Ira! uns contra os outros”. Porém, como tudo passa com o tempo, o Ira! está em turnê novamente, reunido depois de um show tímido realizado no ano passado. Uma turnê de reconciliação, segundo Nasi e Scandurra.

GUNS N’ ROSES

O início do fim teria sido com Axl Rose chegando absurdamente atrasado para os shows. Dentre outros relatos, Slash e Duff McKagan contam que uma vez Axl se recusou a subir ao palco enquanto todos não assinassem um documento cedendo os direitos do nome da banda. Axl nega a história até hoje. Porém, independente da razão, após o encerramento da turnê de Use Your Illusion,  no final de 1993, cada membro foi para um lado e as ofensas começaram. Axl Rose chamou Slash de câncer e depois se recusou a comparecer em cerimônia do Hall Fame of Rock n´roll porque os outros integrantes da banda estariam lá. Após uma a grande novela sobre o novo álbum Chinese Democracy, que levou 10 anos para ser lançado, Axl Rose segue fazendo shows com o Guns, sendo ele e Dizzy Reed os únicos membros da formação original.

PIXIES

Se o Pixies tivesse continuado, teria sido uma banda ainda maior. Membros que mal se falavam, ciúmes e um boicotando o outro foram os principais problemas da banda. Quando o mundo estava começando a se voltar para a música alternativa, o líder Black Francis e a baixista Kim Deal não se davam nada bem. Kim entrou na banda depois de responder a um anúncio no jornal procurando um baixista e os dois não tinham relação fora da banda. Os fãs se apaixonaram por ela e Francis ficou com ciúme. Ele a excluiu dos últimos álbuns, e ela resolveu lançar o projeto paralelo Breeders, que começou a fazer sucesso. O desgaste do relacionamento ou a falta dele acabou com a banda em 1993.

THE CLASH

O Clash teve dificuldades de lidar com o sucesso. O single Rock the Casbah, de 1982, transformou-a em uma banda de superhits da MTV. Quando o Clash abriu para o Who em sua turnê de “despedida”, os integrantes enxergaram a situação como uma amostra do que seria o futuro da banda: tocar velhos sucessos em estádios de futebol e ganhar muito dinheiro. Nada do que uma banda punk deveria ser. Porém, o principal fator da separação foram divergências musicais entre os integrantes. O guitarrista Mick Jones estava se apaixonando pelo hip-hop, o baixista Paul Simonon estava ligado em reggae e o líder Joe Strummer queria a volta do punk. Não tinha como dar certo.

SMASHING PUMPKINS

Billy Corgan, líder do Smashing Pumpkins, insistiu em tocar a maior parte das guitarras e baixos no álbum Siamese Dream, de 1993. A ideia não caiu muito bem para a baixista D’arcy Wretzke e o guitarrista James Iha. Porém, feita a vontade do líder, o Pumpkins estava bem quando o tecladista de turnês Jonathan Melvoin morreu por overdose de heroína em 1996. Outro choque para a banda. Se não bastasse, Jimmy Chamberlin, o baterista, teve uma overdose naquela mesma noite e foi expulso da banda. Pouco depois de ele voltar à banda, em 1999, D’arcy saiu do grupo. A banda anunciou seu fim em dezembro de 2000, mas voltou em 2006 e continua na ativa até hoje.

RAIMUNDOS

Considerada uma das bandas mais importantes dos anos 90 aqui no Brasil, o Raimundos terminou abruptamente quando o vocalista Rodolfo resolveu sair por motivos religiosos. A história a seguir todos já ouviram falar: Rodolfo virou missionário na Igreja Bola de Neve e a banda, ainda unida, lançou o álbum Cantigas de Roda recentemente e segue fazendo shows pelo país. 

Gostou? Compartilhe: