7 escritores da nova literatura brasileira que você precisa conhecer

livros

A literatura é uma arte pra lá de saborosa, e não menos importante é lembrar do que há de novo para apreciar. Quem é ligado em livros, ao escolher a próxima leitura, sabe que existem aqueles nomes certeiros que garantem uma leitura proveitosa. Mas ora ou outra é chegado o momento de se aventurar.

Alguns destaques da nova literatura brasileira são realmente fantásticos. Esses talentos têm se destacando no universo da escrita e não estão para brincadeira. Pensando nisso, listamos sete dos novos e excelentes escritores brasileiros que você precisa conhecer. Confira quem são e o que começar a ler:

Daniel Galera – Barba ensopada de sangue

Escritor e tradutor de literatura contemporânea de língua inglesa, Daniel Galera foi um dos criadores da editora Livros do Mal, por onde lançou seu livro de estreia, Dentes guardados e a primeira edição de Até o dia em que o cão morreu, adaptado para o cinema por Beto Brant no longa Cão sem dono. Seu romance Mãos de Cavalo foi incluído na lista de leituras do vestibular por três anos consecutivos. Cordilheira recebeu o prêmio Machado de Assis de Romance e foi terceiro lugar na categoria Romance do prêmio Jabuti. É autor também do álbum em quadrinhos Cachalote, com o desenhista Rafael Coutinho. Um dos seus títulos mais famosos, Barba ensopada de sangue foi vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2013 e terceiro lugar no Prêmio Jabuti de Romance. No exterior, os direitos de sua obra foram vendidos para países como Inglaterra, Estados Unidos, França, Itália, Argentina, Portugal, Romênia e Holanda.

Antonio Xerxenesky – Areia nos dentes

Antonio é escritor, editor, formou-se em letras e é mestre em literatura comparada pela UFRGS. Colabora com resenhas e críticas para diversos jornais e revistas e foi um dos fundadores da Não Editora, dedicada a jovens autores gaúchos. O escritor também é responsável pela revista eletrônica de crítica literária Cadernos de Não-Ficção, por onde lançou seu primeiro romance Areia nos dentes. Depois, lançou a coletânea de contos A página assombrada por fantasmas, editado pela Rocco em 2011. Seu último livro F, faz referência ao filme F for Fake (Verdades e mentiras, em português), de Orson Welles.

Vanessa Barbara – Noites de alface

Vanessa Barbara é jornalista, tradutora e escritora. Publicou O livro amarelo do terminal pela Cosac Naify em 2008, ganhando o prêmio Jabuti de Reportagem, o romance O verão do Chibo, em 2008, (em parceria com Emilio Fraia), o infantil Endrigo, o escavador de umbigo em 2011 e o romance Noites de alface em 2013 a graphic novel A máquina de Goldberg, em 2012. Como tradutora, lançou recentemente sua versão do clássico O grande Gatsby.  É editora do site A Hortaliça, tradutora e preparadora da Companhia das Letras, colunista do International New York Times e cronista do jornal Folha de S. Paulo.

Luisa Geisler – Quiçá

Com apenas 19 anos de idade, Luisa Geisler ganhou o Prêmio SESC de Literatura na categoria conto pelo seu livro de estreia Contos de Mentira, também finalista do Prêmio Jabuti, em 2012. No ano seguinte, repetiu a dose vencendo o prêmio de melhor romance com o livro Quiçá. Foi incluída na antologia dos melhores jovens escritores brasileiros, editada pela revista Granta, sendo a mais jovem autora selecionada.

Michel Laub – Diário da queda

Escritor e jornalista, Michel Laub publicou cinco romances, todos pela Companhia das Letras. Entre eles, Longe da água, em 2004, O segundo tempo, em 2006 e Diário da queda, em 2011. Ganhou os prêmios Bienal de Brasília e Bravo/Prime, foi finalista dos prêmios São Paulo de Literatura, Portugal Telecom e Zaffari. Também foi incluído entre os melhores jovens escritores brasileiros da revista inglesa Granta. Seu principal romance, Diário da queda, teve os direitos vendidos para onze países e para o cinema.

Maria Clara Drummond – A festa é minha e eu choro se eu quiser

Maria Clara Drummond nasceu no Rio de Janeiro em 1986. Formada em jornalismo, já colaborou para diversas revistas, escrevendo sobre moda, história, literatura e cultura. Atualmente escreve para a Harper’s Bazaar Brasil. A festa é minha e eu choro se eu quiser é seu romance de estreia.

Julián Fuks – Histórias de literatura e cegueira

Julián Fuks nasceu em São Paulo e é filho de pais argentinos. Foi repórter da Folha de S. Paulo e resenhista da revista Cult, além de publicar contos em diversas revistas e na antologia Primos: histórias da herança árabe e judaica, lançado pela Record em 2010. É autor de Fragmentos de Alberto, Ulisses, Carolina e eu, Histórias de literatura e cegueira, de 2007, livro finalista dos prêmios Portugal Telecom e Jabuti, e Procura do romance, de 2011.

Confira a seleção com os escritores brasileiros destacados pela revista Granta.

Gostou? Compartilhe: