Pílulas para “problemas de primeiro mundo” ajuda pacientes com AIDS

first-world-problems-pills - divulgação

“Tá quente demais!” “Não, mas agora já esfriou DE NOVO!” Quem nunca ouviu alguém reclamando de coisas assim, sem muita relevância, digamos? Muita gente fala de problemas banais como não saber o que vestir, não ter sempre a internet mais rápida ou ter que aguentar o mau humor da namorada durante a TPM – são os chamados “problemas de primeiro mundo”.

“Tá quente demais!” “Não, mas agora já esfriou DE NOVO!” Quem nunca reclamou de coisas assim, sem muita relevância, digamos? Muita gente fala sem parar de problemas banais como não saber o que vestir, não ter sempre a internet mais rápida ou ter que aguentar o mau humor da namorada durante a TPM – são os chamados “problemas de primeiro mundo”.

Foi pensando em transformar positivamente essa epidemia de reclamações fúteis que a organização holandesa Aids Fonds criou a “First World Problem Store. Lá você pode comprar pílulas para 41 problemas de primeiro mundo, que na verdade não passam de balas de menta disfarçadas de remédio. E o mais legal, óbvio: 100% do lucro obtido com a venda das pílulas é destinado a medicações para pessoas com o vírus HIV. No site da loja, a organização explica que, em todo o mundo, quase 22 milhões de pessoas não têm acesso aos remédios contra o HIV, o que causa muitas mortes que poderiam ser evitadas. As “First World Problem Pills” são vendidas em embalagens de 20 a 400 gramas e seu valor varia entre 4,95 e 14,95 euros.

Gostou? Compartilhe: