Pixels e a memória dos games

filme Pixels - Divulgação

O filme Pixels estreiou nos cinemas apostando nos videogames dos anos 80. Mesmo que a crítica já esteja caindo de pau, principalmente por alegar que o filme não aprofunda tanto a nostalgia que poderia, o longa vale muito por sua história, ainda mais para os gamers de plantão.

No filme, uma raça alienígena desconhecida  envia personagens e conceitos de jogos de fliperamas dos anos 1980 para invadir a Terra. O presidente dos EUA convoca os melhores jogadores de videogame arcade e forma o time comandado por Adam Sandler para defender o planeta.

Mas toda essa construção iniciou com um projeto de cinco anos atrás realizado por Patrick Jean, cineasta responsável pelo curta de mesmo nome, e feito apenas com cinco mil dólares. Depois de ver seu trabalho se tornar sucesso na internet, com mais de um milhão de visualizações nas primeiras 24 horas online, o autor decidiu desenvolver a ideia e vendê-la para um grande estúdio de Hollywood, no caso, a Sony.

Em um dos vídeos promocionais rolou até uma cena fofa entre a nossa Mônica, do Maurício de Souza, e Adam Sandler, protagonista e produtor-executivo do filme, se liga:

 

No fim das contas, o filme promete uma bela homenagem a vários games clássicos que fizeram parte da infância de toda uma geração que, com certeza, adora matar a saudade com uma boa nostalgia.

 

Gostou? Compartilhe: