“Tão Longe é Aqui”, uma reflexão sobre o que é ser mulher

tao-longe-é-aqui-doc

Seja na luta por ideais ou no seu papel dentro de uma sociedade, em cada lugar e cultura a mulher tem uma representatividade diferente. Esse foi o mote do longa-metragem realizado pela jornalista Eliza Capai Tão Longe é Aqui, que mostra outro cenário sobre a situação das mulheres na África do Sul.

Premiado como Melhor Filme na Mostra Novos Rumos do Festival do Rio, em 2013, e internacionalmente com o prêmio de Melhor Documentário no BrasilCine de Estocolmo, em 2014, Tão Longe é Aqui foi premiado em todos os festivais dos quais participou. O documentário fala sobre a vida da diretora do filme, que, às vésperas de completar 30 anos, parte em uma jornada pela África para falar sobre encontros com mulheres que vivem em harmonia com seus tempos e culturas. A partir de memórias da longa viagem, uma carta é enviada ao futuro.

Apesar de ter sido lançada oficialmente em 2013, a produção chega às salas de cinema somente este ano, no mês da mulher: “É uma reflexão sobre o que é ser mulher hoje a partir de uma viagem pela África”, conta a diretora em seu site. A viagem começou em janeiro de 2010, quando Eliza percorreu Marrocos, Cabo Verde, Mali, Etiópia e, logo em seguida, foi para a África do Sul. No continente africano, o machismo é algo muito presente e, mesmo sendo mais intenso do que no Brasil, a surpresa de Eliza foi justamente a notória diferença entre as mulheres e a forma como muitas estão satisfeitas com as condições sociais em que vivem e às quais são submetidas. Confira o trailer:


Saiba mais em www.taolonge.com ou através das atualizações na fanpage https://www.facebook.com/hereissofar

Gostou? Compartilhe: