Vinil retrô, vinil atual

vinil-c

A morte anunciada dos discos de vinil acabou nunca acontecendo. Aliás, estamos vivendo o efeito contrário. Nos últimos anos essa mídia ganhou uma força que transcende as tendências digitais. Para se ter uma ideia, só nos Estados Unidos, em 2014, foram vendidos 9,2 milhões de LPs, um crescimento de 51,8% nas vendas com relação a 2013, segundo dados da agência de medição Nielsen. A tendência é forte e a inspiração segue baseada em décadas passadas.

Desde o lançamento do vinil nos anos 50, muita coisa mudou. Ainda houve um grande hiato por um tempo, coberto pelo CD, que substituiu os bons e velhos bolachões por disquinhos prateados de som mais limpo e qualidade duvidosa. A tendência do disco voltou, e com ela uma onda de fanáticos colecionadores de raridades. Os fãs juram que a experiência sensorial ganha de qualquer praticidade em baixar músicas na internet.

Atualmente, existem até lojas especializadas em fazer a felicidade de quem busca essas peças, algumas realmente bem raras no mercado. Pensando nisso e no histórico do disco, o estúdio britânico Penney Design usou a criatividade para produzir artes retrô em capas de vinis com artistas atuais como Lady Gaga, Interpol, Libertines e Thom Yorke. Inspiradas nas artes gráficas dos anos 50 e 60, nem o desgaste dos discos 45RPM 7 ficou de fora da criação das capa. Confira:

Gostou? Compartilhe: